Cartéis

     Na ata de Fundação da Escola Freudiana de Paris, Lacan propõe o cartel como um dos dispositivos que facilita a entrada ao discurso da psicanálise. A estrutura de funcionamento do cartel está regida por uma lógica nodal, que possibilita o trabalho com outros, a partir do qual um trabalho em nome próprio, e não coletivo, deve advir, se possível, e poderá ser apresentado nas jornadas de cartel. Trata-se, como no nó borromeano, de uma escritura suportada pela estrutura do inconsciente e sua lógica. O cartel é uma porta de entrada em relação ao discurso da psicanálise e à formação do analista.

    O dispositivo constitui-se a partir de 3, 4 ou 5 pessoas, que se reúnem, de preferência em torno de um tema, em transferência e elegem o +1, que deverá, necessariamente, ser membro da escola. A inscrição do cartel é feita pelo +1 na secretaria da escola. O cartel terá a duração de, no máximo, 2 anos.

    A Secretaria de Cartel convida para uma palestra sobre o dispositivo, que se realizará no dia 26 de março, às 19h30, via Zoom. Essa atividade é aberta, e o link de acesso será divulgado nas mídias sociais.